Vinho laranja: você sabe como é feito?

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Você conhece o vinho laranja e sua antiquíssima – além de muito curiosa – forma de produção?

Ele tem virado tendência entre consumidores e produtores de vinhos orgânicos, que prezam pelo natural e pelo tradicional. Como é justamente essa a nossa paixão, decidimos trazer para vocês um pouquinho de como é feito o vinho laranja, além de suas características principais.

A técnica usada na produção do vinho laranja data de 8 mil anos, e tem suas origens entre a Ásia e a Europa, mais especificamente entre a Geórgia e a Armênia. Essa técnica consiste principalmente na sua fermentação, que ocorre nos peculiares Qvévris (ou Kvévris), ânforas de terracota revestidas internamente com resina. Os Qvévris são enterrados e a fermentação ali pode durar de algumas semanas a meses. Outra particularidade é o que o vinho laranja utiliza uvas brancas, sendo usado nele, porém, o processo de maceração – geralmente utilizado para os vinhos tintos e não para os brancos -.

Justamente por passar pelo processo de maceração (que deixa o suco em contato com as cascas das uvas por longo período), o vinho laranja tem uma cor mais intensa, às vezes puxando para o âmbar (por isso também encontraremos produtores que o preferem chamar de vinho âmbar). Também pelo contato prolongado do suco com as cascas, o vinho adquire um elemento chave: os polifenóis (taninos), que o conferem um aroma mais intenso e adocicado. Semelhante ao tinto, o vinho laranja tem grande corpo ao paladar, mas traz um frescor e algo cítrico únicos.

Como é da nossa filosofia, o vinho laranja pode ser feito de modo não-intervencionista, ou pouco intervencionista, trazendo ao máximo o sabor orgânico e natural do vinho.

Você tem mais de 18 anos?

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Mais informações.

Open chat